Bad Religion mostra a real sobre a treta climática

Teria chegado a hora de uma nova versão para “Kyoto Now!”?

Foto: Foto: divulgação
Gostou? Compartilhe:

Quem acompanha o noticiário global já está ligado que Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, retirou o país do Protocolo de Paris, considerado o maior acordo climático do mundo, que estabelece metas de redução de emissão de poluentes para mais de 130 países.

Ainda não está claro o que vai acontecer depois da decisão, mas já dá pra prever um pouco mais de fumaça circulando sobre nossas cabeças.

Nessa altura você deve estar achando o Trump um pouco otário e, talvez se perguntando como essa história rende música. Calma, colega, o Bad Religion já chega com a resposta.

Lá no início do século, o acordo climático do momento era o Protocolo de Kyoto, que também definia alguns limites para a destruição do planeta e corria o risco de não ser assinado por alguns países, entre eles o mesmo Estados Unidos.

Foi em meio à toda essa indefinição que os caras do Bad Religion lançaram Process of Belief, disco que inclui a faixa “Kyoto Now!”, um manifesto pela proteção do meio-ambiente.

Na música, o Bad Religion pesa na guitarra para colocar o dedo na ferida. No último verso da canção, Greg Graffin anuncia que a falta de ação será o nosso fim. Ouve o som:Já dá até pra pensar em uma versão 2.0 da faixa, agora com o nome de Paris Now!

A gente não depende do Trump pra agir. Além de ouvir o som do Bad Religion, você vai curtir conhecer o trabalho da Fundação SOS Mata Atlântica

SOS Mata Atlântica

A SOS Mata Atlântica  trabalha na proteção ao meio-ambiente e defesa dos últimos remanescentes da Mata Atlântica no Brasil, inclusive as faixas de floresta que ainda sobrevivem em São Paulo, no coração da metrópole.

Gostou? Compartilhe:

Veja também...