Incubus e a alienação midiática

A “Idiot Box” de 2001 era a TV. E a de 2019?

Banda Incubus em foto dos anos 90
Foto: Incubus em foto dos 90s (divulgação)
Gostou? Compartilhe:

por Sté Reis

O Incubus lançou recentemente uma faixa nova, meio psicodélica, meio anos 70, chamada “Into the Summer”. Ela é um retrato da fase good vibes praiana do Brandon Boyd: cabeludo, pintando e tocando ukelele rodeado de cachorros. Mas, a gente vai voltar no tempo pra falar de uma faixa um pouco menos bonitinha dos caras: “Idiot Box”, do álbum S.C.I.E.N.C.E.

Considerada um lado B da banda, essa faixa nunca teve um clipe oficial, mas é tão querida pelos fãs que tem diversos vídeos de ao vivo no Youtube. Um deles, com quase 100 mil visualizações, mostra Boyd novinho, cheio de dreads em uma fase mais pesada e politizada da banda, vibe new metal que bombava em 2001.

Em “Idiot Box”, Brandon faz uma crítica a cultura televisiva, a alienação e a falta de parcialidade dos noticiários: “Deixe-me ver além das batidas bobas | Tenho que me livrar dessa caixa idiota | Deixar você ver além das penas e enfeites | E me ajudar a plantar uma bomba nessa caixa idiota | Das profundezas do mar | Aos topos das árvores | A cadeira de um menino preguiçoso | Olhando pra uma tela prateada”.

A caixa de idiotas de 2001 era a TV, mas hoje a portabilidade permite que ela ande com você no bolso. E se você considerar a crítica que Brandon faz ao comportamento passivo, não é muito difícil de associar como isso foi amplificado com a internet. E você, o que acha? Acredita que os celulares também se tornaram uma caixa de idiotas?

Observatório da Imprensa

O Observatório da Imprensa é um veículo jornalístico focado na crítica da mídia. Pretende acompanhar, junto com outras organizações da sociedade civil, o desempenho da mídia brasileira.

Gostou? Compartilhe:

Veja também...