MDC berra contra a homofobia

Papai usa vestido, mamãe tem uma barba e ninguém tem nada a ver com isso.

Foto: YouTube.com
Gostou? Compartilhe:

Ainda na década de 1980, um jovem Dave Dictor subia no palco para gritar que a família dele era uma pouco estranha, papai usa vestido e mamãe tem uma barba.

Quando assuntos como identidade de gênero e direitos LGBT ainda estavam longe de ganhar a visibilidade que alcançaram nos últimos tempos, o MDC (Millions of Dead Cops) já usava o seu hardcore punk para jogar o assunto na roda e colocar a galera pra pensar.

My Family is a little weird, que a gente te convida a ouvir por aqui hoje, integra o primeiro disco do grupo, lançado em 1982, e é só uma entre as muitas músicas do MDC que ironizam o preconceito.A princípio alguns podem suspeitar que os caras estão fazendo gracinha com a causa LGBT, ainda mais em um contexto muitas vezes machista como o punk rock. Mas basta conhecer um pouco a trajetória do MDC e do seu líder, o politizado Dictor, para sacar que eles são bons aliados na luta contra a homofobia.

E nem precisa pesquisar muito. Em outra faixa do mesmo álbum, com o título Dead Cops/America’s So Straight, a banda faz um questionamento duplo contra a polícia e a homofobia. E ainda pergunta: What makes America so straight and me so bent?

No Brasil, a causa LGBT tem o apoio de diversas instituições, uma delas é a ONG ABCD’S.

ONG ABCDs

Sensibilizar e mobilizar a população sobre as questões de Cidadania e Direitos Humanos da População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais.

Gostou? Compartilhe:

Veja também...